Geada e chuvas afetam safra de feijão, mas preço pode recuperar perdas

Escrito por em 08/06/2022

Quase metade das lavouras de feijão da região já foram colhidas. E o que os produtores estão tirando das plantações está sendo um produto abaixo das expectativas, tanto em quantidade como na qualidade. “Não temos áreas totalmente perdidas por conta das intempéries, mas verificamos lavouras parcialmente prejudicadas em grande proporção pela região”, analisa o técnico do Departamento de Economia Rural Antoninho Fontanella.

Nos 27 municípios da microrregião de Francisco Beltrão, foram plantados 51 mil hectres de feijão – metade para cada variedade, preto e carioca. A perspectiva inicial era retirar dessas lavouras cerca de 100 mil toneladas, mas a previsão da colheita vem diminuindo devido à quebra de produtividade. Só será possível calcular exatamente o percentual de perdas conforme a colheita for avançando.

No entanto, o valor está relativamente bom para o produtor e compensando a redução da safra: em torno de R$ 180 a saca do feijão preto e R$ 360 a do carioca.

Um dos fatores que vêm contribuindo para a alta de preços do grão é sua procura no mercado nacional. Boa parte do feijão da região, por exemplo, é enviado para grandes centros do Sudeste e Nordeste e mesmo com a qualidade menor, as vendas estão garantidas.

Fonte: Jornal de Beltrão

Marcado como

[There are no radio stations in the database]