Casos de Covid-19 no Brasil sobem para 23 mil

Escrito por em 13/04/2020

O Ministério da Saúde informou nesta segunda que o Brasil tem 23.430 casos confirmados de Covid-19, com 1.368 mortes. Nas últimas 24 horas, foram 1.261 novos registros e 105 óbitos.

Para o órgão, o pico da doença no país será do fim de abril até junho, pois, historicamente, o Brasil tem o maior número de doenças epidemiológicas nesse período, principalmente nas regiões Sudeste e Sul.

Estes são os estados com maiores índices do novo coronavírus: São Paulo, com 8.895 casos e 608 mortes, Rio de Janeiro (3.231 registros positivos e 188 mortes), Ceará (1.800 casos e 91 mortes) e Amazonas (1.275 casos e 71 mortes). Estes quatro, mais o Distrito Federal e o Amapá entraram em situação de emergência hoje.

No Paraná, a secretaria estadual da Saúde confirmou mais 2 óbitos nesta segunda, elevando o número para 33. Os casos confirmados são 768.

As duas vítimas são do Norte do estado, um homem de 52 anos, que residia em Maringá, e outro homem, em Arapongas, esse com 79 anos.

Na noite desta segunda, foi confirmada a primeira morte por Covid-19 em Pato Branco. Trata-se de um homem, 70 anos, com doença cardiovascular crônica, hipertensão arterial sistêmica e obesidade. Ele estava internado desde o dia 10 de abril.

Mundo

A Itália vai iniciar uma fase intermediária nesta terça-feira (14). O país vai liberar parcialmente a abertura do comércio em algumas partes do território. Livrarias, papelarias e lojas de roupas para bebês e crianças poderão voltar às atividades. Nas regiões mais afetadas, só as lojas de vestuário infantil poderão reabrir.

A liberação para estrangeiros ingressarem no país, exclusivamente para trabalho, é outra medida adotada pelo governo italiano. O período é de três a cinco dias. O viajante deve entregar um certificado ao chegar e, caso não consiga retornar ao país de origem dentro do prazo, deverá ficar em quarentena.

Continua caindo o número de mortes na Itália. São 20.465 com 159.516 casos de contaminação. Apesar da queda nos números, o país ainda é o segundo com mais mortes no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, segundo a universidade Johns Hopkins.

Fonte: CNN Brasil e G1


[There are no radio stations in the database]